A forma de lidar com o parceiro pode mudar seu relacionamento

Couple sitting on the couch having a fight in sitting room at home

A maneira como você fala ou pede alguma coisa ao seu parceiro interfere diretamente no bem-estar do relacionamento. Discordâncias que surgem com o passar dos anos, possíveis chantagens emocionais que começam a fazer parte do dia a dia, o controle que você tenta exercer sobre o outro com o tempo e outros comportamentos parecidos podem desgastar o namoro ou o casamento.

Por isso, se você deseja resolver alguma divergência no seu relacionamento ou quer obter sucesso na vida amorosa, preste bem atenção nas quatro dicas abaixo que selecionamos a partir de textos do autor Renato Cardoso – que com a esposa, Cristiane Cardoso, apresenta o programa “The Love School”, na Record TV –, publicados em seu blog e entenda como agir o amor inteligente e racional na sua vida amorosa.

Coloque-se no lugar do outro

Quando nos colocamos no lugar do outro, nos aproximamos mais de suas necessidades e entendemos o que é melhor para essa pessoa, principalmente em situações de conflitos e diante de quaisquer adversidades.

“Amar inclui sempre pensar em como fazer a vida do parceiro melhor. Você tenta se colocar no lugar da outra pessoa, imaginar o que ela está passando. Se você tivesse chegado em casa à noite, exausto fisicamente e mentalmente, que tipo de recepção gostaria? Pense como fazer a vida do seu parceiro melhor e tome a iniciativa”, aponta Renato.

Aprenda a negociar

Quando situações e vontades passam a conflitar com os desejos e ações do parceiro, é importante saber negociar. Nem sempre o casal vai concordar com tudo e em todos os aspectos.

“Amar não significa concordar sempre. Se há uma coisa certa sobre qualquer casamento é que cedo ou tarde o casal irá discordar sobre alguma coisa importante. Não há nada de errado com isso. Quem é casado tem que aprender a negociar com seu cônjuge. De nada adianta romantizar a questão e dizer que ‘amar é dar e não esperar nada em troca’. Besteira. Isso é mais um mito do amor. Quem ama e não recebe nada em troca é frustrado e infeliz. Não é esta a maneira inteligente de amar”, afirma o apresentador.

Não seja controlador

Quando não há confiança, não há espaço para o amor, pois a desconfiança abre caminho para um relacionamento inseguro. O parceiro que quer ter o controle de tudo acaba sendo injusto com o outro e poucas coisas estressam mais em uma relação do que as tentativas de um dominar o outro.

“Amor deve ser dado e demonstrado livremente, não por pressão. Apenas quando há liberdade é que podemos dar e receber amor. Quando sou livre para ter outras pessoas, mas escolho uma única, ela sabe a quem meu amor pertence. Se você tenta controlar seu parceiro, desista. Deixe claro quais são seus limites, e quais as consequências se não os respeitar, mas não tente fazê-lo cumprir seus desejos à força”, explica Renato.

Repudie chantagens emocionais

É injusto querer tudo do seu jeito, inclusive que o outro seja igual a você. As pessoas emocionais muitas vezes criam artimanhas para manipular o outro simplesmente porque não aceitam que ele pense ou aja diferente delas.

“Se você realmente me amasse, …”; “Como você pode ser tão egoísta e fazer isso comigo, …”; “É isso que eu ganho por tudo que eu faço por você, …” Quem resiste a tais acusações?

“Chantagens emocionais são armas favoritas de pessoas manipuladoras. Uma das formas mais comuns dentro de um relacionamento é tentar fazer o outro se sentir culpado, com o objetivo de fazê-lo cumprir os desejos do manipulador. Se você não trouxer seu relacionamento para o nível racional, continuará sendo vítima (ou vilão) da chantagem emocional. A emoção é a ferramenta errada para lidar com qualquer problema da relação”, esclarece o apresentador.

Na Terapia do Amor os casais e solteiros adquirem aprendizados valiosos para serem capazes de alcançar o sucesso na vida amorosa. As palestras acontecem todas as quintas-feiras na universal.

Fonte:Universal.org

Você gostou? Compartilhe:

Deixe o seu comentário